28 junho 2006

Disgruntled

É como me sinto hoje.
Estou triste, zangada, desiludida... Nem sei!
Ainda ontem defendi o meu país com ardor e hoje sinto que ele me desiludiu mais uma vez!
Há já uma semana que não falava com a E. que é uma mulher cheia de problemas vários mas, o que me aflige hoje é um marido violento e muito, muito relutante em passar a ex-marido.
Ele quer manter o controle dela e da vida dela masmo depois de ela dar entrada a um processo de divórcio litigioso, depois de ela desistir de aguentar a vida dentro das mesmas quatro paredes que ele, porque não conseguem fazer com que a besta saia... Ele ficou a morar com o pai dela, quando ela finalmente decidiu sair de casa e alugou uma casinha para ela e para a filha!!!
O problema é que ela tem que voltar à casa paterna todos os dias porque é lá que ela tem o local de trabalho (não, não dá para mudar, infelizmente). Todas as manhãs ela tem uma nova surpresa desagradável à espera dela... Dejectos de cão espalhados pelo chão, desarrumação, maus-tratos psicológicos, insultos a ela, à filha e ao pai dela e agora até faz questão de lhe cuspir para cima todas as manhãs.
Já a avisou que a vai reduzir a pó! Que todo o dinheiro que ela ganha não vai chegar para pagar as dívidas e agora ela viu chegar uma conta da PT de mais de 400 €! Já perceberam, né? Ca’tching!
A advogada mandou-a fazer queixa no Ministério Público... Não aceitaram a queixa dela! Teve que ser a advogada a ir lá apresentá-la e , como trabalha para uma firma foi obrigada a cobrar! Ca’tching!
De qualquer das formas, avisaram-na logo que aquilo não ia servir de nada! Acho isto inacreditável!!!
Quanto aos abusos e insultos, disseram-lhe que seria boa ideia gravá-los... Ela comprou um gravador pequenino (70€ Ca’tching!), gravou tudo e agora a advogada disse-lhe que aquilo não serve como prova! O que ela tem que fazer é arranjar duas testemunhas, que não sejam da família, para dizer o quão afectada psicologicamente ela está e que estejam dispostas a falar em defesa dela! Testemunhas? De quê, meu Deus, se ele faz isto a portas fechadas? Se não é parvo nenhum e não deixa que mais ninguém veja, se sabe que quando lhe tocar perde a razão e já nem sequer lhe bate para se poder fazer uma queixa decente! GRRRRRRR!
Fiz o melhor que sei e pude: dei-lhe o meu nome como testemunha e voluntariei-me a ir assegurar que ela não está bem e que isto assim não pode continuar... Que mais posso fazer?
Não há lei que defenda as mulheres? Se a própria advogada contou ter assitido a um caso em que uma mulher foi espancada e violada na própria casa, depois de ter sido perseguida e confrontada com actos sexuais explícitos e depois de inúmeras queixas na polícia, finalmente o agressor vai a tribunal e sai livre que nem um passarinho porque é dado como inimputável!
e uma mulher fica com quê? Com isto? Com um "desculpe lá"? Com um "a justiça não pode fazer nada por si"? Com um "DESENRASQUE-SE!!"?
AI QUE FÚRIA!

4 comentários:

borbolletta disse...

Estou arrepiada a ler isto...

gata disse...

é por estas e por muitas outras que eu não quero trabalhar em Direito, a minha área. porque se quem está fora fica desiludido, quem está dentro, se olhar com olhos de ver, fica também, e ainda mais.

eu sou contra o «crime-castigo», mas há limites. lamento informar, mas... a justiça em portugal, nem é justiça nem, sendo outra coisa qq, funciona sequer...

Crestfallen disse...

compreendo a tua frustração e admiro a tua coragem de te teres disponibilizado para testemunhar..

Quanto à justiça nem me vou pronunciar - é obvio e disgusting!!

eu se fosse ela, provavelmente agarrava na minha filha e fugia para muito longe...

mas eu sou assim temperamental, por isso não liguem...

beijocas

Mishka disse...

E queres saber mais?
Agora fico com ela até sair o último miúdo para sairmos juntas de forma a que ele não a massacre mais. Isto porque em frente às 'mães' ele não se atreve a fazer nada.
E pronto... Lá chego eu ainda mais tarde a casa!... Mas de consciência leve e com o sentimento de ter feito aquilo que está certo! :)
*suspiro